Fique atualizado com o

Motiva Gente News
recent

Prefeito e secretário são indiciados por fraude em licitações

A Polícia Federal realizou nesta terça-feira (15) uma entrevista coletiva em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, para divulgar o balanço parcial da primeira fase da Operação 'Cosa Nostra', que tem como alvo a formação de um cartel para fraudar licitações em dez cidades do interior de Pernambuco.

De acordo com a PF, o prefeito de Agrestina, Thiago Nunes (PMDB), um secretário que não teve o nome revelado e mais seis pessoas, foram indiciados por frustração de caráter competitivo de licitação, fraude na contratação, corrupção ativa e passiva e crime de responsabilidade, cujas penas somadas ultrapassam os 30 anos reclusão.

Por meio de nota, Thiago Nunes disse ao G1 que "sempre agiu dentro da estrita legalidade, sem causar prejuízo aos cofres públicos e está colaborando com as investigações. Ninguém foi preso durante a operação e os serviços públicos continuarão seguindo dentro da normalidade".

Segundo a PF, a investigação teve início após a denúncia de um vereador de Agrestina, que não teve o nome divulgado.  Ainda de acordo com a Polícia Federal, após o início do primeiro mandato de Thiago Nunes, em janeiro de 2013, empresas de fachada – em nome de laranjas - começaram a ganhar licitações para a realização de diversas obras e serviços na cidade, como uma UPA e escolas.

O corregedor da Polícia Federal, Alexandre Lucena, disse que uma das empresas conseguiu atingir o valor de R$ 8 milhões em contratos, com apenas três meses de atuação. “O secretário da pasta de Articulação Política criou cinco empresas para concorrer em licitações em dez cidades do Agreste. Além de ser dono de uma delas, ele usou familiares como laranjas em outras empresas, que recebiam um valor fixo por mês para ceder o nome”, disse na entrevista coletiva.

Além de Agrestina, a Polícia Federal também realizou investigação nas cidades de Panelas, Jurema, Água Preta, Lagoa dos Gatos, Bom Conselho, Jupi, Iati, Riacho das Almas e Angelim. Não está comprovada até o momento a participação das gestões municipais desses municípios no esquema.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas cidades de Agrestina (3), Caruaru (6), Garanhuns (7) e São João (1), locais onde existiam sedes das empresas envolvidas.

Fonte: Wildes de brito

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.