Fique atualizado com o

Motiva Gente News
recent

Rapidinhas do Blog! Especial Eleições Suplementares

A Cassação - Reeleito sob júdice em 2016 para o 4º mandato, o então prefeito de Belo Jardim, João Mendonça (PSB), teve liminar interrompida e mandato cassado pelo TSE por 7 votos a 0, ficando assim inelegível por tempo determinado pela justiça.

Fim precoce - O 4º mandato do ex-prefeito de Belo Jardim, João Mendonça (PSB), teve um fim muito cedo, pois após ele ter assumido com liminar temporária, o que seria de 4 anos, foi de pouco mais de 4 meses, ao ser interrompido no último dia 11 de maio.

Paraibano no comando - Com a saída de João Mendonça, de acordo a justiça, quem assumiu o governo de Belo Jardim, interinamente, foi o Presidente do poder Legislativo, Vereador Gilvandro Estrela (PV), um paraibano que vive em Belo Jardim há muitos anos, ele é oposição ao então prefeito, ora cassado, e ligado ao Ministro Mendonça Filho (DEM).

Troca-troca - Após assumir o mandato tampão, o prefeito interino realizou a troca de secretários municipais, dando oportunidade a pessoas do grupo ao qual ele faz parte, mas por acordos políticos, herdou da gestão passada, dois secretários, Neto Andrade e Ana Jatobá, Juventude e Especial da Mulher, respectivamente.

Eleição Suplementar - Vivenciando o que ocorreu em Brejo da Madre de Deus, em 2013, Belo Jardim terá sua 1ª eleição para prefeito fora de época da história, com três candidatos na disputa. O caso ocorre em virtude da cassação do então prefeito João Mendonça (PSB).

Dois e um I - Na eleição suplementar em Belo Jardim, dois empresários e um advogado encabeçam as chapas na concorrência ao cargo de novo prefeito da cidade, em julho próximo. Hélio dos Terrenos e Luiz Carlos, e Gilvandro Estrela, respectivamente.

Dois e um II - Dois nomes dos que concorreram na chapa majoritária de 2016, estão disputando mais uma vez, um concorre a prefeito novamente, o outro foi vice e, agora, passou a ser o candidato pelo PSB, já outro foi eleito vereador e vai para a reeleição de prefeito, por está no cargo interinamente.

Dois e um III - Dos que concorrem na eleição suplementar, dois candidatos são vereadores e se licenciaram para concorrer, ambos a vice-prefeito, Pitomba e Dr. Silvano, esse concorre pela 2ª vez ao cargo. Já Gilvandro, prefeito interino e presidente licenciado da Câmara, é candidato a prefeito.

Três por um - A eleição suplementar que ocorrerá em 2 de julho deste, terá três concorrentes pelo cargo de prefeito, que será de 3 anos e 5 meses, e não de 4 anos, pois já vem sendo cumprido parte dele. O fato marcará a surpreendente marca de 4 prefeitos no mesmo ano.

Bom nome - Ex-secretária de Educação por três vezes, a Drª Elizabete Gomes foi escolhida para candidata a vice-prefeita pelo grupo do ex-prefeito João Mendonça, ao lado do ex-vice Luiz Carlos, que encabeça a chapa socialista.

De fora - Os Irmãos Cabeludos, leia-se Cristiano e Nen, ficaram de fora da eleição extra em Belo Jardim, um terminou mandato de vice-prefeito e não se elegeu vereador, o outro foi vereador e não se elegeu vice-prefeito em 2016 e, dessa vez, não concorrem.

Desistência - O Tenente Mariano (PRTB) que foi 4º colocado na eleição municipal de 2016, preferiu não sair candidato e aliou-se ao candidato do PTB na eleição suplementar.

Não Custa perguntar - Belo Jardim terá apoio de outras cidades na eleição suplementar, assim como ocorreu em Brejo, quando políticos de municípios próximos entraram na campanha para ajudar aos candidatos?

Imagem: Reprodução da internet
Texto: Jota Isaias
Fonte: Blog de Xucuru

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.