Fique atualizado com o

Motiva Gente News
recent

Conta de água fica 2,78% mais cara em Pernambuco

Reajuste provisório foi publicado no Diário Oficial do estado desta quinta-feira (12) e entra em vigor em 12 de maio.

A conta de água e esgoto vai ficar mais cara em Pernambuco. A Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Pernambuco (Arpe) homologou o reajuste de 2,78% nas tarifas da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Os novos valores entram em vigor no dia 12 de maio.

Com o aumento autorizado, uma conta de R$ 100 vai subir para R$ 102,78. A autorização da cobrança dos novos valores pelos serviços de abastecimento e coleta e tratamento de esgoto foi publicada no Diário Oficial de Pernambuco nesta quinta-feira (12).

A Arpe informa que este será um aumento provisório, uma prática pouco comum em Pernambuco. Isso ocorreu por causa de uma solicitação da Compesa, que pretende reavaliar todo o sistema para pedir um reajuste definitivo ainda este ano.

Segundo a diretora de Regulação de Tarifas da Arpe, Angela Freitas, a Compesa pediu a suspensão do aumento convencional previsto em meio ao processo de discussão. Uma audiência pública estava marcada para 26 de março, mas a empresa optou por reavaliar a situação de investimentos e custos operacionais.

Ela explicou que até o fim de 2018 esse aumento definitivo será definido. Quando o valor for aplicado, será abatido esse percentual de 2,78%, já definido como reajuste provisório.

De acordo com a Arpe, o percentual provisório foi definido a partir da avaliação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado entre 1º de fevereiro de 2017 e 28 de fevereiro deste ano. Também foi levada em consideração a variação do Índice Geral de Preços (IGPM), no mesmo período.

“Aplicamos a metodologia que vem sendo usada desde 2014 e que estava prevista para os três anos seguintes. Quando for finalizado o processo de reavaliação de ativos da Compesa, adotaremos outra forma de cálculo”, observou.

Por meio de nota, a Compesa informou que "o reajuste foi estabelecido para fazer a reposição da inflação dos últimos 13 meses".

No texto, a companhia exemplificou o aumento: "Esse percentual representará um acréscimo de R$ 1,12 na tarifa mínima convencional. Para esses clientes, que apresentam um consumo mensal de até 10 mil litros de água, a tarifa passará de R$ 40,18 para R$ 41,30. Já para os clientes de baixa renda, que pagam a tarifa social, o aumento significará R$ 0,23 a mais na conta, ou seja, a fatura subirá dos atuais R$ 8,40 para R$ 8,63, por mês".

Fonte: G1 Caruaru

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.