Fique atualizado com o

Motiva Gente News
recent

Em debate da Globo, presidenciáveis atacam Bolsonaro e PT

Debate foi realizado pela Globo na noite desta quinta

Questionado por Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (PSOL) voltou a criticar a política de repressão às drogas no debate de presidenciáveis, nesta quinta-feira (4), na TV Globo. Boulos defende que usuários sejam tratados como questão de saúde, e não no âmbito do código penal.

O tema permitiu que os candidatos criticassem o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, que defende o armamento da população como política de segurança. Ciro voltou a questionar o capitão reformado pela ausência no debate. "Não queremos dar a primeira arma ao jovem, queremos dar o primeiro emprego", completou Boulos, que pregou o uso de inteligência para combater o tráfico de armas.

O candidato Fernando Haddad  (PT) aproveitou a ausência de Bolsonaro no debate na Globo - por alegadas questões de saúde - para criticar as medidas de austeridade iniciadas pelo governo de Michel Temer que, segundo o candidato do PT, o capitão pretende aprofundar. "Cortar direitos dos trabalhadores para (ajustar) as contas públicas, isto não se faz. O PT jamais o fará. O que está ocorrendo no Brasil é um absurdo".

"Amarelou"
A candidata Marina Silva (Rede) arrancou aplausos da plateia após dizer que Bolsonaro "amarelou" ao se ausentar do debate de presidenciáveis da TV Globo nesta quinta-feira (4). Ela criticou o capitão reformado por conceder entrevista à TV Record nesta quinta-feira (4), que foi transmitida junto ao debate: "Bolsonaro mais uma vez amarelou."

Ciro Gomes (PDT) e Henrique Meirelles (MDB) também condenaram a ausência do capitão reformado. Assim como Marina, eles criticaram o fato de Bolsonaro ter concedido uma entrevista à TV Record, embora tenha alegado proibição médica para comparecer ao debate.

Ciro comparou seu caso ao do candidato do PSL e disse que foi a um debate mesmo estando com uma sonda porque o eleitor merece esclarecimentos. Já Meirelles disse que a entrevista de Bolsonaro à Record se deu sob "absoluto controle" e que isso demonstra que ele não tem condições de governar o país. "O eleitor merece respeito", cobrou Meirelles.

Direita x Esquerda
Candidatos que se dizem de centro, Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (MDB) se uniram no primeiro bloco do debate de presidenciáveis para tentar romper com a polarização entre direita e esquerda na reta final do primeiro turno. A três dias da realização do primeiro turno, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando 

Haddad (PT) estão na ponta das pesquisas, com 35% e 22%, respectivamente, segundo o Datafolha divulgado nesta quinta.

Primeiro, Ciro perguntou a Marina sobre o cenário conflagrado do país e a possibilidade de um novo governo, eleito em meio à tensão política, chegar ao fim. Depois, foi a vez de Meirelles falar com Ciro sobre a eleição de um "salvador da pátria".

Alvaro Dias e Haddad
Os candidatos à Presidência da República Alvaro Dias (Podemos) e Fernando Haddad (PT) tiveram um dos embates mais pesados no debate promovido pela TV Globo.

"Ao final do programa, vou te entregar a pergunta que é para ser feita ao verdadeiro candidato, que está preso", disse o candidato do Podemos ao petista, em referência a Lula - preso em Curitiba e que, por isso, foi substituído por Haddad na chapa petista. O ex-prefeito de São Paulo "pediu compostura" a Dias no debate e o acusou de fazer brincadeiras fora de hora e não respeitar limites de tempo. "Está atrapalhado em relação ao tempo e ao espaço", ironizou Haddad.

Fonte: Folha PE

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.