Fique atualizado com o

Motiva Gente News
recent

La Casa de Papel: acusação mostra contradições, diz defesa de youtubers

A audiência de instrução terminou, de acordo com os advogados, com boas expectativas para os rapazes

A audiência de instrução dos youtubers acusados de invadir e causar desordem no Centro de Observação e Triagem Everaldo Luna (Cotel) fantasiados de personagens da série espanhola La Casa de Papel, em 17 de abril do ano passado, terminou, de acordo com os advogados, com boas expectativas para os rapazes, após a acusação apresentar contradição nos depoimentos. A audiência, presidida pelo juiz Luiz Carlos Vieira de Figueiredo,  ocorreu na manhã desta terça-feira (22), no Fórum de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR). A próxima etapa do caso deve ser o  julgamento, que ainda não tem data marcada.

“O juiz teve consciência de que não somos marginais, mas também tem consciência de que nós erramos. Ele está ali para julgar a causa, independentemente de nós reconhecermos o nosso erro ou não. Mesmo que nós sejamos pessoas de bem, existe um processo e ele tem que julgá-lo.” relatou o youtuber Gerson Albuquerque, de 23 anos.

De acordo com o youtuber, sua vida mudou muito após o incidente. “Antes me reconheciam pelos meus vídeos, agora muita gente me conhece na rua como o menino da internet que foi preso”.  E reforçou que não teve a intenção de fazer algo com tamanha proporção. “Eu nunca quis isso, eu fiz faculdade, estagiei e me formei. Eu nunca ia querer sujar o meu nome e a minha imagem”, afirmou o jovem.

Gerson Albuquerque, de 23 anos; Wesllay Meireles, 34; e Mateus Kleber, 21, são acusados de invasão de propriedade, corrupção do então menor Alex Ygor dos Santos, atualmente com 18 anos, que também participou da invasão, desacato e provocar alarde/ato capaz de produzir pânico. Alex responde por ato infracional equivalente aos mesmos crimes, com exceção da corrupção de menor. Se condenados, as penas, somadas, podem chegar a nove anos de reclusão.

Isabela Pequeno, advogada de Gerson e Wesllay, pontuou que “eles não tinham essa consciência, não foi algo dolosamente pensado. Eles não sabiam que estariam cometendo os supostos crimes”. A advogada afirmou que, no entanto, eles reconhecem o erro, porém “nada justifica os abusos sofridos por eles”. “Eles foram algemados nas mãos e nos pés. Muitos cometem algo que abala muito mais a sociedade e não são algemados dessa forma” frisou Isabela.

Para a advogada, a audiência foi “uma ótima oportunidade de esclarecimento dos fatos”. “Até então, o juiz só havia tido contato com o processo do Ministério Público, e esse foi um ótimo momento de contrapor esses pontos. E, nos momentos de alegações finais, nós esperamos encerrar essa defesa de forma excelente”, disse Pequeno.

Segundo a advogada dos rapazes, houve várias contradições nos depoimentos dos agentes penitenciários, que se apresentaram como testemunhas de acusação. “A descrição da forma como eles entraram é um exemplo dessas contradições.  Muitas coisas foram distorcidas e nós tiramos como vitória esta primeira audiência”, afirmou Isabela.

O advogado de Mateus Kleber, 21, Muller Aureliano, apenas se pronunciou antes da ouvida do seu cliente. Muller afirmou que a estratégia de defesa será mantida em resguardo até as delações finais. Mas reforçou que prezam pela individualização da conduta dos envolvidos. Mateus e a família mantiveram-se afastados dos outros rapazes durante todo o tempo em que estiveram no Fórum de Abreu e Lima e não quiseram falar com a imprensa.

Fonte: Folha PE

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.