Fique atualizado com o

Motiva Gente News
recent

No acumulado do mês, preço da gasolina teve queda em Pernambuco

Mesmo com alta de 3,5% no preço da gasolina nas refinarias, preço do combustível recuou 2,7% no acumulado de agosto.

Reflexo da guerra comercial entre os Estados Unidos e China, que elevou o valor do dólar, na última segunda, pela primeira vez no ano ao patamar de R$4,19, a Petrobras anunciou mudança no preço do combustível. Desde a quarta-feira (28), o preço médio da gasolina em suas refinarias está, em média, 3,5% mais caro. 

Este é o terceiro reajuste na precificação da gasolina este mês, o segundo para cima. O mais recente, no dia 16, reduziu em 6% o valor do combustível. Em Pernambuco, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Pernambuco (Sindicombustíveis-PE), o reajuste deve equivaler a um aumento de R$0,4 centavos na compra nas distribuidoras. No entanto, mesmo com esse aumento de agora, no acumulado do mês, o preço da gasolina em Pernambuco variou para baixo em 2,7%. 

Como o valor de venda pelas refinarias equivale a 30% do preço de bomba, visto que o restante da composição do valor é de impostos, margens e etanol, não há como precisar se haverá repasse do aumento para as bombas. “A rigor, deveria ser repassado, no entanto, como o mercado é livre, fica difícil afirmar se vão ou não repassar o aumento”, comenta o presidente do Sindicombustíveis-PE, Alfredo Pinheiros. 

De acordo com a Petrobras, o preço de venda às distribuidoras não é o único determinante do preço final ao consumidor. “Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas pela Petrobras podem ou não se refletir no preço final, que incorpora tributos e repasses dos demais agentes do setor de comercialização: distribuidores, revendedores e produtores de biocombustíveis, entre outros”, afirma a estatal.

Desde 2017, a Petrobras vem acompanhando as cotações internacionais dos combustíveis, em maior ou menor grau. A política foi bastante criticada em 2018, quando a escalada do preço do petróleo levou a sucessivos reajustes do diesel, culminando com a greve dos caminhoneiros que paralisou o país por duas semanas.

Diesel
O preço do diesel não foi alterado. A última modificação foi feita no dia 1º de agosto. 

Fonte: Folha PE

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.